sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Citação de Temer por Delcídio é recebida como ameaça no PT e PMDB

  • por Gerson Camarotti

    Políticos do PMDB e do PT ficaram apreensivos com as primeiras informações sobre o depoimento do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), preso na última quarta-feira (25). Peemedebistas avaliam que Delcídio mandou um recado em tom de ameaça ao afirmar que o vice-presidente Michel Temer tinha uma “relação próxima” com Jorge Zelada, ex-diretor da área internacional da Petrobras, também preso na Operação Lava Jato.
    No depoimento, Delcídio esclarece que se referiu ao vice Michel Temer quando perguntado sobre o conteúdo da gravação da conversa com o filho de Nestor Cerveró. Perguntado sobre essa proximidade de Temer e Zelada, o senador afirmou que não queria responder sobre essa indagação.
    Peemedebistas avaliam que ao ter deixado no ar a relação entre Temer e o ex-diretor da Petrobras, Delcídio mandou recado de que pode envolver muitos políticos caso seja abandonado.
    Outro ponto que causou alerta entre integrantes do PT e do PMDB foi a contrariedade de Delcídio com as declarações atribuídas ao ex-presidente Lula de que ele fez “coisa de imbecil” ao tentar atrapalhar os trabalhos da Operação Lava Jato. O Instituto Lula negou as declarações atribuídas ao ex-presidente.
    Há duas versões para a irritação de Delcídio sobre o episódio. Investigadores argumentam que o senador do PT foi informado das declarações de Lula depois do depoimento à PF nesta quinta (26). E a defesa alega que esse foi o motivo que fez ele interromper o depoimento.
    “De todo jeito, Delcídio demonstra que está muito irritado com a falta de solidariedade do PT”, observou ao Blog um cacique peemedebista.
    O vice-presidente negou nesta sexta ter "qualquer relação de proximidade" com Zelada. Por meio de nota divulgada por sua assessoria de imprensa, Temer afirma que "não indicou nem trabalhou" pela manutenção do ex-diretor da Petrobras e "repudia" as declarações de Delcídio.

Nenhum comentário: