quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Picanha puxa aumento dos preços das carnes em açougues de Belo Horizonte

por Editoria de web em Jornalismo / Atualizado


Preferida de muitos brasileiros, picanha está mais cara em BH (Reprodução) 
Os belo-horizontinos estão pagando mais caro para fazer churrasco ou incluir carnes nas refeições diárias. Pesquisa feita pelo Procon da Assembleia realizada entre 11 e 12 de janeiro mostra os preços das carnes nos açougues subiram, em média, 1,55%. O levantamento comparou preços de 37 produtos e constatou que 25 deles sofreram aumento no preço médio, enquanto 12 tiveram redução.
Nas variações por grupo, os cortes bovinos tiveram um aumento de 1,89% em 17 itens pesquisados, com destaque para a picanha, que aumentou 4,21%. Nos cortes de frango, houve um aumento de 0,46% em 11 itens, e a carne suína teve uma queda de 0,07% em 9 itens pesquisados. Os aumentos mais elevados da carne bovina foram detectados nas regiões Leste (12,52%) e Barreiro (7,16%).
A carne suína que registrou a maior redução foi a suã especial (-4,41%). Mas, o Procon Assembleia orienta que o consumidor fique atento, pois esse corte apresentou uma grande variação de preço entre os açougues pesquisados (204,08%). As maiores baixas de preço ocorrem nas regiões da Pampulha (-24,92) e Norte (-14,15%). O corte suíno que registrou o maior aumento foi o pernil com osso (4,18%).
A reportagem da Itatiaia percorreu açougues de BH e conversou com consumidores. A reclamação é geral. “A carne de segunda é R$ 18 o quilo. Você que inventar para pôr na mesa, senão você fica sem comer carne”, disse Maria Heloísa, que trocou a carne vermelha por frango. “(Estou levando) coxinha e asinha. Peguei 1 quilo e paguei R$ 12”, reclamou.
“ Daqui uns dias a gente vai comer só arroz, feijão e farinha. E ovo”, completou Daniela de Paula Carvalho. “A carne de boi é a mais cara que tem. A gente vai variando, né… filé de frango e omelete com pedaço de bacon”, conta.  

Fonte: Procon ALMG

Nenhum comentário: