sexta-feira, 20 de maio de 2016

Argentina aumenta salário mínimo em 33% – para mais de R$ 2 mil

- Atualizado em
Público aguarda a posse do novo presidente da Argentina Mauricio Macri em Buenos Aires, na manhã desta quinta-feira (10)
Inflação argentina chega a quase 20% apenas em 2016(Martin Acosta/Reuters)
O governo argentino e os sindicatos acertaram nesta quinta-feira um aumento de 33% para o salário mínimo. Com o reajuste, o mínimo chegará a 8.060 pesos (2.040 reais) em janeiro de 2017, informou uma fonte empresarial que participou da reunião.
O aumento do salário referencial, que até agora era de 6.060 pesos (1.530 reais), será feito em parcelas entre junho e setembro de 2016 e janeiro do próximo ano. O seguro desemprego, defasado em relação aos salários de 2016, também será reajustado, de 400 pesos (100 reais) para 3.000 pesos (760 reais).
"É um bom acordo, porque para o setor empresarial não é uma coisa grave e dá um piso aceitável para o salário mínimo", afirmou Osvaldo Cornide, presidente da Confederação Argentina das Médias Empresas ao deixar a sede do governo.
No momento, a Argentina enfrenta uma inflação elevada: os quase 20% acumulados apenas em 2016 têm sido sentidos principalmente na cesta básica.
(Com AFP)

Nenhum comentário:

Loading...

Arquivo do blog