quarta-feira, 11 de maio de 2016

Polícia Federal acusa governo de não cumprir negociações salariais

COMUNICADO INTERNO

Segundo nota, "a instituição que investiga, combate a corrupção e apura irregularidades, sempre fiel ao regramento jurídico e de forma republicana, sai das negociações sem nenhuma sinalização de reconhecimento"

PF

PUBLICADO EM 11/05/16 - 14h30
Os servidores da Polícia Federal receberam, hoje, uma mensagem interna do diretor-geral da instituição,Leandro Daiello. O comunicado critica o governo federal por não cumprir negociações sobre questão salarial.
Diz Daiello aos servidores que “o compromisso com a Polícia Federal não foi cumprido, especialmente o tratamento igualitário dispensado aos servidores da Advocacia Geral da União e Receita Federal, em termos salariais e de garantias institucionais, órgãos que defendem o governo e arrecadam tributos”.
Leia a íntegra da mensagem:
Caros colegas,
É de conhecimento de todos que a Direção Geral, em parceria com as entidades de classe representativas dos diversos cargos na Polícia Federal, negociava com o Governo Federal, via Ministério da Justiça e Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, um acordo em busca de recomposição salarial, além de garantias de fortalecimento institucional.
Conforme notas divulgadas em setembro e outubro de 2015, o Governo Federal havia se comprometido a estender aos servidores da Polícia Federal os mesmos parâmetros de eventual proposta oferecida aos servidores da Advocacia Geral da União e da Receita Federal.
Ontem, surpreendentemente fomos informados, no final do dia, de que as negociações estavam encerradas e que não haveria nenhuma proposta salarial.
A surpresa decorre do fato de que, desde o final do ano passado, o assunto vinha sendo tratado e discutido, nos âmbitos técnico e político, com os referidos ministérios. Ainda ontem, a Direção Geral apresentou uma proposta de acordo, que foi analisada e discutida pessoalmente durante o dia, deliberando-se, em conjunto, pelo encaminhamento à mesa de negociação com as entidades de classe.
Infelizmente o compromisso com a Polícia Federal não foi cumprido, especialmente o tratamento igualitário dispensado aos servidores da Advocacia Geral da União e Receita Federal, em termos salariais e de garantias institucionais, órgãos que defendem o governo e arrecadam tributos.
Assim, a instituição que investiga, combate a corrupção e apura irregularidades, sempre fiel ao regramento jurídico e de forma republicana, sai das negociações sem nenhuma sinalização de reconhecimento.
A Direção Geral, contando com a união de todos, garante que não recuará na luta pela valorização dos servidores e na busca por uma atuação independente e autônoma do órgão. Somente uma Polícia Federal forte, coesa e dedicada obterá sucesso na melhoria de condições de trabalho e de vida de todos os servidores.
Leandro Daiello Coimbra
Diretor Geral

Nenhum comentário:

Loading...

Arquivo do blog