quinta-feira, 28 de julho de 2016

Marinha mantém buscas por piloto de caça que caiu no mar do RJ na terça

28/07/2016 08h44 - Atualizado em 28/07/2016 08h58

Operação conta com navio-sonda; aeronave caiu em Saquarema.
Corpo de Bombeiros voltou ao local na manhã desta quinta-feira (28).

Do G1 Região dos Lagos

Operação de buscas é mantida nestq quarta-feira
(Foto: Reprodução/TV Globo)
RJ busca piloto caça Marinha (Foto: Reprodução/TV Globo) As buscas pelo piloto do caça da Marinha que caiu no mar de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio, seguem na manhã desta quinta-feira (28). O piloto, que ainda não teve a identidade divulgada pela corporação, está desaparecido desde a tarde de terça-feira (26) quando o avião que pilotava se chocou contra outro durante um treinamento padrão de ataque a alvos de superfície.
A Marinha não interrompeu as buscas durante a madrugada e conta desde a tarde desta quarta com o auxílio de um navio-sonda. O Corpo de Bombeiros divulgou nesta manhã que retornou ao local para auxiliar nas buscas por volta das 7h50. Eles contam com botes e jet-skis.
Segundo a Marinha, o piloto acionou a ejeção da aeronave por volta das 14h30 de terça. No entanto, a corporação não confirma que ele tenha conseguido sair da aeronave.
Navios e aeronaves da Marinha estão no local. Segundo informado nesta quarta pela corporação, também estão sendo empregados equipes e estrutura do Exército Brasileiro, da Força Aérea Brasileira, além do Corpo de Bombeiros.
A Marinha também informou que foi aberto um Plano de Emergência Aeronáutica, que é feito a partir do momento em que se descobre o acidente, para, posteriormente, abrir uma investigação para apurar as causas.
Navio-sonda
O Navio de Pesquisa Hidroceanográfico "Vital de Oliveira", da Marinha do Brasil, chegou na tarde desta quarta ao litoral de Saquarema. O navio tem 78 metros de comprimento, possui 5 laboratórios e tem capacidade para 130 pessoas. Entre os equipamentos estão ecobatímetros multifeixe, perfilador de velocidade do som e sonar de varredura lateral. A embarcação pode ser operada remotamente.
Buscas
A assessoria da Marinha disse por telefone que não se pronuncia sobre a possibilidade do piloto ter ficado preso à cabine "por se tratar de uma hipótese". Testemunhas disseram à reportagem do RJ Inter TV 1ª Edição que acompanharam a queda do avião, mas que não viram o piloto se ejetando.
"Nós escutamos um barulho, nós já vimos o avião 'imbicar'. (Sobre a ejeção do piloto) Não vimos nada, foi uma coisa muito de repente", disse a professora Sonia Trocato.
A reportagem do RJ Inter TV registrou que, no início da tarde, as buscas passaram a se concentrar em uma área menor em frente à Praia de Jaconé.
A assessoria da Marinha também disse por telefone que a localização das buscas muda de acordo com as condições da corrente, da maré e outros fatores, como ventos. Os estudos são feitos simultaneamente às buscas para ampliar ou concentrar o raio de ação. Disse ainda que o procedimento é padrão e é reavaliado a todo momento.
Navio-sonda Vital Inter ajuda na localização do piloto do caça da Marinha (Foto: Reprodução/Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação)Navio-sonda Vital Inter ajuda na localização do piloto do caça da Marinha (Foto: Reprodução/Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação)
O acidente
Segundo a Marinha, dois caças bateram durante um treinamento padrão de ataque a alvos de superfície. Uma fragata participava do treinamento, a cerca de 100 Km do litoralA aeronave que caiu no mar é do modelo AF-1 Skyhawk da Marinha do Brasil. O outro caça envolvido na batida, do mesmo modelo, voltou com segurança para a Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia, de onde ambos haviam saído.
Os aviões AF-1 Skyhawk foram comprados pelo Brasil do Kuwait, depois da Guerra do Golfo, e participaram de missões de combate da Operação Tempestade no Deserto no início de 1991. A Marinha do Brasil possui 23 exemplares do Skyhawk da versão A-4KU. 
projeto de mordenização das aeronaves incluiu o uso de equipamentos de ponta desenvolvidos com tecnologia brasileira.
Veja a nota da Marinha enviada na tarde desta quarta-feira:
A Marinha do Brasil (MB), em complemento às Notas publicadas anteriormente, informa que as buscas ao piloto da aeronave AF-1B, desaparecido no mar desde ontem (26), permaneceram ao longo de toda a noite passada e prosseguem de forma contínua.
No momento, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico "Vital de Oliveira", que possui equipamentos adequados para a realização de buscas no fundo do mar, está se deslocando para a área do acidente.
Além de navios e aeronaves da MB, também estão sendo empregados meios do Exército Brasileiro, da Força Aérea Brasileira e do Corpo de Bombeiros.
Skyhawk da Marinha do Brasil passou por testes na Base Aérea de Natal (Foto: Fred Carvalho/G1)Skyhawk da Marinha do Brasil (Foto: Fred Carvalho/G1)
 

Nenhum comentário:

Loading...

Arquivo do blog