sexta-feira, 8 de julho de 2016

Protesto contra a Guarda Municipal de Itabirito termina em quebradeira

Na Região Central de Minas

Juventude reclama da falta de preparo da corporação e da violência em suas abordagens; Prefeitura diz que corporação é frontada e perseguida

PUBLICADO EM 08/07/16 - 11h44
Itabirito, na região Central de Minas, vive um momento de tensão com a segurança municipal. A confusão envolve, sobretudo, os jovens da cidade e a Guarda Civil Municipal. Desde a última sexta-feira (1º) foram registrados confrontos entre as partes, que terminou em quebra-quebra durante passeata na última quarta-feira (6).
O prefeito Alex Salvador (PSD) disse à reportagem de O TEMPO, nessa quinta-feira (7) que o protesto foi um ato deliberado de vândalos. Na visão da administração municipal, a corporação é afrontada e perseguida. Por outro lado, a população reclama do despreparo e violência nas atuações da Guarda. Confira o vídeo:

A primeira confusão foi registrada na última sexta-feira (1º) com abordagem de um jovem, de 22 anos, em atitude suspeita. "Há algum tempo uns grupos da cidade vêm perseguindo a Guarda Municipal. E isso, pelo simples exercício da função, que é abordar e revistar suspeitos. Na sexta-feira passada, no bairro Praia, um jovem com passagens por tráfico e por roubo reagiu à abordagem e agrediu os guardas. Ele é lutador de artes marciais... Ele foi encaminhado para a delegacia pela Guarda e liberado", contou o prefeito Salvador. Nessa ocorrência não houve atuação da Polícia Militar.
Ainda segundo o prefeito, na segunda-feira (4), um grupo ligado ao jovem detido pela Guarda passou a provocar os agentes da corporação no centro da cidade e também nos bairros, a bordo de carros e motocicletas em situação irregular. "Na praça da Estação, o jovem que causou toda a confusão, agrediu verbalmente e fisicamente um guarda, que reagiu, aí eles entraram em luta corporal".
O suspeito, reincidente, terminou detido e levado para exames de corpo de delito na UPA que foi invadida por comparsas que passaram a quebrar a unidade e, de novo, segundo o prefeito Alex, a agredir os guardas. "O prejuízo só não foi maior porque a Guarda não deixou", narrou. Nesse dia, diversas pessoas foram detidas e a ocorrência acompanhada pela Polícia Militar.
"Já nessa quarta, o que nós vimos, e que eu nunca vi, foi uma manifestação de vândalos, com intenção clara de depredar o patrimônio público e privado", indignou-se o prefeito. De acordo com a prefeitura, o grupo saiu em passeata pela praça 1º de Maio, onde foi registrado maiores danos em decorrência do protesto.
"Eles quebraram os vidros do Salão dos Ferroviários, uma atração turística da cidade; quebraram vitrines de lojas, danificaram carros particulares e da prefeitura. Na confusão, eles jogaram pedras, paus, duas idosas foram atingidas... Umas 20 pessoas foram presas ontem, e pra não ser incorreto, leviano, não vou dizer que todos, mas 80% deles têm passagens por vários crimes e estão ligados a líderes da criminalidade daqui", terminou o prefeito Alex Salvador.

Outro lado
A passeata foi organizada por alunos da Escola Estadual Engenheiro Queiroz Júnior, os mais prejudicados com a ação da guarda, segundo um membro da União da Juventude Socialista (UJS) de Itabirito, que conversou com nossa reportagem nessa sexta-feira (8). Ele pediu para não ser identificado. Conforme a União, cerca de 500 pessoas estiveram no protesto e 15 foram detidas.
A UJS contou que existe um histórico de agressão da Guarda Civil Municipal de Itabirito contra os jovens. "Basta usar chapéu de aba larga, alargador na orelha e andar de skate para ser considerado suspeito. Os dois jovens, pivôs de toda confusão que começou na sexta-feira passada (1º), são alunos dessa escola", desabafou o membro.
A União esclareceu que entrou no protesto para dar força ao movimento, um viés político, para não ser apenas um monte de jovens sem ter o que dizer nas ruas. "O problema é que no meio da passeata estavam infiltrados integrantes de torcidas organizadas da cidade, que também são contra a ação da Guarda. Eles não entenderam o motivo do protesto e, infelizmente, soltaram a primeira bomba. Aí, a Polícia Militar reagiu, e começou toda a confusão e quebradeira. Percebendo isso, nós, da UJS, saímos da manifestação", explicou.
"A Prefeitura de Itabirito, inclusive, sabia da passeata e tem dialogado conosco, o problema são alguns guardas, recém-incorporados...Nossa manifestação era para mostrar a indignação contra o abuso de autoridade de quem não respeita a juventude e, que de maneira arbitrária, independentemente de o jovem ter ou não envolvimento com drogas, apenas pela aparência, agride. O que falta à Guarda Municipal é discernimento. Eles não têm sensibilidade, não têm respeito pela diversidade", finalizou o membro da  União da Juventude Socialista de Itabirito.
Apesar de não concordar com o quebra-quebra, um morador do bairro São São José, reforçou que ninguém mais aguenta a atuação da Guarda Municipal. "Eu fiquei sabendo que o pessoal estava na manifestação jogando bombas, até uma banca de jornal foi destruída. Eles quebraram a Sala dos Ferroviários, arrancaram lixeiras, espalharam lixo, e colocaram fogo, isso foi ontem (quarta) por volta das 15h, foi no centro".

Ainda segundo o leitor, o protesto era feito pelos amigos do "Ramon", que foi preso. "Só que aí, veio o pessoal dos 'predinhos' e tumultuou tudo. A Tropa de Choque da Polícia Militar estava observando a manifestação e só reagiu porque vieram esses vândalos aí... Não estou de acordo com o que foi feito, mas a população de Itabirito está revoltada com ação da Guarda, que agride sem qualquer motivo. Eles não tem educação pra conversar...Uma vez, perto da minha casa, um conhecido meu foi agredido e fui até lé pra tentar defender ele. Os guardas colocaram ele na parede... as agressões são sempre sem motivos", denuncia.
A Polícia Militar informou que apenas o jovem, de 22 anos, consta como detido desde o início da confusão, na última sexta, em uma ocorrência caracterizada como envolvimento em quadrilha ou bando.
Nossa reportagem aguarda o retorno da Polícia Civil sobre o número de detidos e andamento das investigações.
Notas
Veja notas publicada pela UJS no dia (5), convocando para a passeata. E a nota de repúdio publicado no dia 6, após a passeata que terminou em quebra-quebra.
A juventude de Itabirito exige respeito não às abordagens abusivas e autoritárias
‪#‎SomosTodosRamom‬ ‪#‎SomosTodosDinho‬
‪#‎PorUmaCulturadePaz‬

“Estamos interessados em combater a violência... . “... Nós Queremos que todos os Direitos sejam garantidos e que todos os delitos praticados sejam devidamente investigados. O que certamente vai contribuir para reverter a violência e a discriminação que recaem sobre a população jovem por meio da utilização dos autos de resistência” (Dilma Rousseff)
As ultimas ocorrências publicas divulgadas em rede nacional envolvendo jovens de Itabirito e Guardas Municipais refletem uma realidade comum nas periferias e comunidades afastadas no centro de Itabirito, onde a juventude vive amedrontada com a presença da Guarda Municipal pelas constantes ações preventivas que tem exposto nossa juventude ao ridículo e violando sua cidadania e sua identidade.
A violência impede que parte significativa dos jovens brasileiros usufrua dos avanços sociais e econômicos, processos ideológicos e culturais oriundos de representações negativas acerca da população jovem e negra.
O Sistema de informação sobre mortalidade (SIM/datasus, Ministério da Saúde) mostra que dos 56.337 mortos por homicídios, em 2012, 52,63% eram jovens, 77% negros e 93.30 do sexo masculino, e 54,8% da população carceraria do Brasil são jovens, apontando mais uma forma de vitimização da população jovem.
A repressão e a resistência nunca foram boas alternativas na garantia dos direitos humanos e na promoção do dialogo entre partes politicamente opostas pelos seus ideais, aspectos sociais e econômicos que em vez de promover a igualdade tem a cada dia afastado mais a comunidade dos serviços públicos dentre eles a segurança publica.
Hoje, a juventude de Itabirito esta organizada para manifestar sua insatisfação pelo atos de resistência que tem violado nossos direitos de Ir e vir, nossa cidadania e nossa diversidade cultural e sexual quando todas e todos iremos pedir:
• Que a manifestação seja supra partidária pelo direitos a igualdade de direitos;
• Pelo respeito a todas e todas independente de classe social;
• Que nosso direito constitucional de ir e vir seja garantido com integridade;
• Que a justiça seja a base de todo dialogo onde os dois lados tem direito de serem escutados;
• Para dizer não ao PODER DE POLICIA da Guarda Municipal;
• Para dizer que cumprimos nossos deveres como sujeitos de direitos e queremos que o Estado Democrático de Direito seja preservado dando amplo direito de defesa a todas e todos;
• Que a organização da juventude seja um dos critérios para a manutenção do dialogo entre governo e comunidade.

Acreditamos também que hoje daremos um passo decisivo na manutenção da ordem, dos bons costumes na resolução dos problemas que atingem nossa juventude.
Venha conosco manifestar pedindo paz e respeito, trazendo seu cartaz que dialogue com nossa bandeira de Luta pela Paz, Respeito e Cidadania.
Programação
13 h - Oficina de produção de cartazes – Estacionamento Parque Ecológico
14 h – Deslocamento pacifico pela avenida Queiroz júnior
15 h – Apresentação das nossas reivindicações
16 h – Encerramento do Ato na Praça das Bandeiras

União da Juventude Socialista - UJS ITABIRITO
Divulgação/UJS via Facebook 
Protesto Itabirito
Nota de repúdio pós passeata
Confira nota da Prefeitura de Itabirito:
Nota de Repúdio aos atos de vandalismo em Itabirito
A Prefeitura vem a público repudiar com veemência os atos de vandalismo ocorridos na tarde dessa quarta-feira (06), que tiveram como alvo principal os vidros do Salão dos Ferroviários, na Praça da Estação, o patrimônio público como lixeiras, carros e placas de sinalização, além de vitrines das lojas.
Tais atos foram praticados por grupos de vândalos, cujos únicos objetivos foram a prática de delitos e a depredação de patrimônios público e privado com intuito criminoso. A Prefeitura afirma que não serão admitidos atos criminosos dessa natureza, que configuram clara agressão ao patrimônio do município.
Para tanto, a administração municipal juntamente com as polícias Civil, Militar e Guarda Municipal, está tomando todas as providências legais cabíveis, com registro de ocorrência para abertura de processo investigatório formalizado junto aos órgãos de segurança para a necessária punição dos envolvidos na ação criminosa.
A Prefeitura informa ainda que desde quando tomou conhecimento dos fatos envolvendo a Guarda Municipal e um grupo de pessoas, está tomando as devidas medidas para apurar os possíveis abusos de poder, dentro dos preceitos legais.
Por fim, a Prefeitura lamenta que sua população tenha que conviver com tamanha covardia e reforça que não vai admitir qualquer tipo de violência. Itabirito sempre foi e continuará sendo uma cidade de gente ordeira e trabalhadora e não lugar de vandalismo e violência.

Nenhum comentário:

Loading...

Arquivo do blog