quinta-feira, 21 de setembro de 2017

A questão militar: Exército reforça ameaça ao país com fala do Alto Comando


http://www.tribunadainternet.com.br/a-questao-militar-exercito-reforca-a-ameaca-de-intervencao/
Parte inferior do formulário
Coluna no GLOBO
por Míriam Leitão

21/09/2017 06:00
O Exército fez a mais explícita ameaça ao país em 32 anos de democracia através do episódio do general Antonio Hamilton Mourão. O general Mourão falou em intervenção militar. Seu chefe, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, não só não o puniu, como o elogiou e, por fim, seguiu seu comandado, afirmando que a Constituição dá às Forças Armadas o mandato para intervir.
A entrevista dada pelo comandante do Exército ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, é estarrecedora porque ele, ao simular que discorda, acabou deixando claro que concorda com seu companheiro de farda. Lembrou que a Constituição, no artigo 142, estabelece que as Forças Armadas podem intervir no país, ou a pedido de um dos poderes ou na iminência de um caos. “Então as Forças Armadas teriam o mandato para fazê-lo. Caso não seja solucionado o problema, nós podemos intervir. É isso o que ele quis dizer”, disse o comandante do Exército.
Pois é. E o que Mourão quis dizer é exatamente o que ele não deveria dizer, porque militares da ativa não podem fazer manifestação política. No mínimo, a sua declaração deveria ter sido vista como quebra de hierarquia. Entende-se que ele não quebrou hierarquia alguma, porque, como se viu, seu chefe concorda com ele.
O general Mourão não nega o nome que tem. Não é a primeira vez que o amalucado general diz esse tipo de sandice. Da primeira vez, foi removido do posto, agora recebe um afago do seu superior. Bem que Mourão avisou que não está sozinho. “Na minha visão, que coincide com a dos companheiros do Alto Comando do Exército”, o país está vivendo uma situação que ele descreveu como de “aproximações sucessivas”. E explica de que ponto o país está se aproximando: “Até chegar o momento em que ou as instituições solucionam o problema político, com apelação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos. Ou então teremos que impor isso.”
E o poder civil do país? A tudo assistiu, acanhado. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, soltou uma nota tímida dizendo que pediria explicações ao chefe do general e ficou por isso mesmo. Que explicação deu, pode-se imaginar agora em que, entrevistado, o chefe de Mourão elogiou seu subordinado: “um gauchão, um grande soldado, figura fantástica.” Em seguida, disse que ele foi mal interpretado e que é preciso entender o contexto, porque ele teria falado em reunião fechada. Mourão foi tão claro que não havia forma de interpretá-lo erradamente, e a reunião, apesar de ser fechada, por ser na Loja Maçônica, era um encontro público, e não um bate-papo entre amigos. Ele sabia que havia o risco de aquelas declarações saírem.
O general Mourão chantageou as instituições civis, citando especificamente o Judiciário, ao afirmar que ou elas retiram esses “elementos envolvidos em todos os ilícitos” ou então as Forças Armadas vão “impor isso”. O país quer se livrar da corrupção. Disso não há dúvida. Só que será usada a pena do juiz e não a bota do general, será respeitado o devido processo legal e não a imposição castrense. O salvacionismo militar já nos custou caro demais por tempo prolongado demais. O país fará a sua depuração através das instituições democráticas.
O governo Michel Temer é fraco e teme as Forças Armadas. Bastou uma cara feia para os militares serem tirados da reforma da Previdência. Depois, eles foram poupados da proposta de congelamento de salário dos servidores federais. Agora aconteceu um episódio de indisciplina militar e de ameaça às instituições brasileiras, e o governo deixou que os militares resolvessem entre si. O general Villas Bôas disse que conversou com o general Mourão. E o assunto está encerrado.
O Brasil nunca exigiu que as Forças Armadas reconhecessem os crimes cometidos durante a ditadura. Ao contrário dos países vizinhos, ninguém jamais foi punido pelas torturas, mortes, ocultação de cadáveres. O general Villas Bôas justificou até a ditadura. Disse que era parte do contexto da época de guerra fria e lembrou que naquele regime o país saiu de 47ª economia para o 8º lugar. Os militares deixaram as contas públicas em absoluta desordem, o país pendurado no FMI e com a inflação galopante.
Só mesmo um governo claudicante como este pode não entender o quão inaceitável é tudo isso que se passou diante de nós nos últimos dias.
(Com Alvaro Gribel, de São Paulo)


segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Polícia investiga se soldado teve algum surto psicótico

Homicídios

Única pista é mensagem que jovem deixou ao irmão dizendo que ouviu vozes

0
Mortes da namorada e da sogra ocorreram na madrugada de sábado; já as do jovem e da mãe foram nesse domingo (13)

PUBLICADO EM 14/08/17 - 03h00
A motivação para a sequência de assassinatos cometidos pelo soldado da Polícia Militar (PM) Igor Quintão Vieira, 23, ainda é uma mistério. A única pista é uma mensagem que ele enviou para o irmão após matar a namorada e a sogra, em Divinópolis, na região Central do Estado, e pouco antes de matar a mãe em Rio Pomba, na Zona da Mata. No texto, ele afirma que ouviu vozes que o teriam impelido a fazer algo terrível e que mataria a mãe para ela não sofrer com o que havia feito. A possibilidade de ter tido um surto psicótico é uma das linhas de investigação da Polícia Civil.

De acordo com o delegado regional de Divinópolis, Leonardo Pio, amigos e familiares afirmaram que o soldado não fez queixa de nenhum problema. Ele frequentava normalmente o curso de formação de sargentos, onde, um ano atrás, conheceu a namorada, também soldado, Aline Guimarães Rodrigues, 34.

O relacionamento começou há cerca de três meses, e também não existem relatos de brigas. “Ele veio para Divinópolis para conhecer a família da namorada. Eles chegaram à casa da família de Aline por volta das 20h. O assassinato dela e da mãe ocorreu em torno das 2h30 de sábado”, conta o delegado. Ele diz que vai ouvir mais pessoas nos próximos dias.

Após matar a namorada e a sogra, Elisabete Guimarães Rodrigues, 66, Igor foi para sua cidade natal, Rio Pomba, a cerca de 300 km de Divinópolis. Ele chegou à casa da mãe, EloísQuintão Vieira, 48, por volta das 7h de sábado. Lá, ele a matou e, em seguida, atirou em sua própria cabeça.

A Delegacia de Mulheres também trabalhará nas investigações dos crimes, já que o crime poderá ser enquadrado em feminicídio.
Vítimas estariam dormindo
Segundo informações iniciais da perícia da Polícia Civil, todas as vítimas do soldado Igor Quintão Vieira, 23, dormiam quando foram assassinadas. “A perícia aponta para um tiro dado à queima-roupa, na altura do ouvido das vítimas. Ao que tudo indica, todas as mulheres estavam dormindo quando foram mortas”, afirma o delegado Leonardo Pio.

Coronel surta, exige reunião com deputado e ameaça atirar em BH

PRAÇA SETE

Homem faz parte do quadro da reserva do Corpo de Bombeiros; ele disse à polícia que é amigo do político

PUBLICADO EM 14/08/17 - 06h14
Resultado de imagem para surtoPor quase duas horas, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) precisou negociar com um coronel da reserva do Corpo de Bombeiros que estava armado e ameaçava atirar em direção a prédios no entorno da praça Sete, no centro de Belo Horizonte, na madrugada desta segunda-feira (14).
O homem, que não teve o nome e a idade divulgados, exigia uma reunião com um deputado estadual, que fez parte do quadro da Polícia Militar. De acordo com informações das duas corporações, por volta de 2h45, o coronel chegou à praça e se posicionou ao lado do Pirulito armado com uma carabina. Minutos depois, ele começou a gritar que queria o encontro com o político, que na versão do militar, seria amigo dele.
A área em que esse homem estava foi cercada e, depois de muita conversa, ele se rendeu, por volta de 4h40. Por sorte, ninguém ficou ferido e  o homem foi encaminhado ao Hospital da Polícia Militar.
De acordo com informações preliminares dos militares que atenderam a ocorrência, o coronel faz uso de remédios controlados e, nesta madrugada, teria ingerido bebidas alcoólicas. A família dele já foi avisada e seguiu para o hospital.
O motivo dessa reunião com o deputado estadual não foi esclarecido pelo militar da reserva.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

PRISÃO DE AUTOR DE ROUBO EM BANDEIRA-MG

Em 18JUL2017, por volta das 16hs50min na cidade de Bandeira/MG, a Polícia Militar foi acionada por telefone por uma das vítimas,  relatando que estava fazendo caminhada as margens da LMG 630, juntamente com outra testemunha , quando foram surpreendidas por dois indivíduos em uma motocicleta Honda aparentando ser uma CG de cor preta. Os meliantes pararam a moto e um dos indivíduos mostrou para elas uma arma de fogo aparentando ser um revólver e anunciaram o assalto, subtraindo de uma das vítima um celular Sansung, modelo J5, cor cinza, com capa rosa, número de chamada (33) XXXXXXXXX. Segundo a vítima os dois indivíduos estavam de capacete, eram magros, estatura mediana, estando o condutor da moto vestido uma calça escura e moletom de cor vermelho. Já o outro indivíduo estava usando uma calça de cor verde e uma camisa de cores vermelha e branca. Após o roubo os meliantes seguiram sentindo ao Distrito do Timorante. De imediato a Guarnição policial seguiu para o Timorante onde foram informados por populares que os suspeitos haviam seguido em uma estrada vicinal que da acesso as comunidades do Gitirana e João Gomes. Quando a guarnição estava realizando rastreamento nas imediações do Timorante foram solicitados por outra vítima, morador da Comunidade João Gomes afirmando que estava chegando em casa quando foi surpreendido por dois indivíduos em uma motocicleta Honda CG de cor preta, tendo os meliantes as mesmas características dos que haviam praticado o roubo contra a vítimado Timorante. Acrescentou que um dos criminosos lhe apontou uma arma de fogo, revólver de cor preto, anunciaram que era um assalto e levaram da vítima uma motocicleta Yamaha YBR, cor preta, placa JLC-9686, município de Bandeira/MG. Que após o roubo os indivíduos seguiram por uma estrada vicinal que dava acesso as comunidades Ribeira do Capim Açu e Sapata. Tendo um dos meliantes saído guiando a moto Honda CG de cor preta e outro seguido conduzindo a moto Yamaha YBR, subtraída de uma das vítimas . De imediato foi repassada a situação para as frações circunvizinhas e para o COPOM/44° BPM. Quando a guarnição PM de Bandeira juntamente com outra guarnição do Tático Móvel de Almenara realizava um cerco/bloqueio na LMG 630, visualizaram duas motocicletas que não atenderam a ordem de parada emanada pelos militares e evadiram em alta velocidade sentido a cidade de Almenara/MG. De imediato foi feito um acompanhamento aos veículos e quando chegou próximo ao KM 29 da citada rodovia, em um trecho de curva, os indivíduos perderam o controle direcional das duas motocicletas, caindo no solo e posteriormente rapidamente abandonaram os veículos e se embrenharam em um matagal, sendo feita uma grande varredura no local, porém os meliantes não foram localizados. No local foi recuperada a motocicleta Yamaha YBR, cor preta, placa JLC 9686, roubada da vítima  e uma moto Honda CG, cor preta, placa JRI-7014, município de Vitoria da Conquista/BA. Em consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública, pelo número do chassi da motocicleta Honda CG, cor preta, foi constatado que a verdadeira placa do veículo é HLK-7030, município de Pedra Azul/MG, que o veículo encontra-se em nome de de um morador da cidade e que a moto foi roubada no município de Pedra Azul/MG em 10/06/2017, conforme REDS 2017-012212117-001. Diante das informações as motocicletas foram apreendidas e encaminhas para o Pátio Conveniado da empresa Auto Reboque SQ3. Foi registrado o BOPM M2249-2017-0000606 e REDS 2017-016621285-001. Complementando o autor THIERRY DIAS da Vila bahia foi preso nas buscas agora pela manhã ao atentar assaltar outra vítima na estrada bandeira Mata Verde pelo Sargento Gerson e demais componentes da equipe, estava de posse de um Revólver calibre .32 numeração raspada. Prosseguem as buscas pelo outro envolvido RONICLEI JOSÉ DA SILVA
Fonte PMMG

quarta-feira, 21 de junho de 2017

*BANDEIRA – PM prende homem por furto de gado e açougueiro por receptação*

Nenhum texto alternativo automático disponível. Um homem de 29 anos foi preso em flagrante furtando gado e um açougueiro de 39 anos foi preso acusado de ser o receptador na noite desta terça-feira, 20, em Bandeira/MG. A operação da PM foi desencadeada em atendimento a solicitação de fazendeiros na Divisa com o Estado da Bahia, noticiando sobre furtos de gado na região. O suspeito foi preso montado em um cavalo “tocando” 4 vacas. Ele tentou fugir ao avistar a viatura, mas foi contido e confessou ter furtado o cavalo, os arreios e as vacas de uma fazenda que faz divisa com Macarani/BA.
Segundo denúncias, os furtos estavam ocorrendo frequentemente na madrugada e o gado era destinado a um açougueiro que realizava o abatimento sem deixar vestígios e comercializava a carne. O suspeito flagrado confessou o crime e disse que realmente o gado era destinado ao açougueiro. No celular do suspeito, havia ligações telefônicas entre ele e o açougueiro acusado de receptação. O açougueiro foi localizado e negou as acusações. As quatro vacas, o cavalo e os arreios foram restituídos para o proprietário da fazenda. Uma motocicleta usada pelo suspeito foi apreendida. Os dois envolvidos foram encaminhados para a Delegacia em Almenara/MG.

quinta-feira, 11 de maio de 2017

POLÍCIA MILITAR DE BANDEIRA/MG APREENDEU DUAS ARMAS DE FOGO


A guarnição policial realizava operação policial e quando se deslocava por uma estrada vicinal, avistou dois indivíduos numa motocicleta, que ao perceber que seriam abordados, empreenderam fuga largando para trás um saco e adentraram num matagal, não sendo possível mais a perseguição.
Os policiais averiguaram o saco e encontraram no seu interior um revólver calibre .38 munciado com cinco cartuchos e uma cabina calibre .22 que foram apreendidas e entregues na delegacia de Almenara. Os autores não foram identificados.
EQUIPE
SGT WELLINGTON
SGT GERSON
CB DIOGO
CB WESLEY
SD JULIANO
SD LUIDIO

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Nova estrutura: Minas Gerais amplia serviços aéreos

Hoje em Dia
horizontes@hojeemdia.com.br
10/05/2017 - 06h00
Minas Gerais vai ampliar os serviços aéreos com o Comando de Aviação do Estado (Comave). A nova estrutura de coordenação e gestão das aeronaves estaduais, oficializada ontem, vai estabelecer a utilização integrada da frota, expandir a capacidade de resposta e iniciar a formação de uma malha aérea para o Estado.
Além de reduzir despesas, como explica o comandante do Comave, coronel Rodrigo Sousa, a criação do comando está alinhada às estratégias do Governo de Minas, de atuar cada vez mais perto das pessoas e das regiões do estado.
Com isso, o governo estadual vai, ao mesmo tempo, reduzir gastos e aumentar a capacidade de realização de serviços com as aeronaves para toda a população, como atividades médicas e transporte de órgãos vitais, ocorrências policiais e de prestação de socorro, entre outros.
Até então, os órgãos de aviação atuavam de forma segmentada, o que interferia na capacidade de resposta a todas as regiões de Minas Gerais. Com o Comave, a ideia é que se reduza o tempo de atendimento e de resposta em até uma hora e meia para qualquer ponto do território mineiro
“Atende a uma necessidade de tornar possível avançar mais com o serviço de aeronaves”, observa o comandante.
“Inicialmente, a proposta é integrar os serviços, com maior controle e coordenação, para, a partir daí, expandir a atuação para todas regiões e, também, paulatinamente, consolidar a formação de uma malha da aviação”, explica.
Redistribuição
Um dos resultados previstos com a coordenação única é, de acordo com o coronel, ampliar o atendimento, com a redistribuição de uso das aeronaves e criação de bases no modelo multimissão (com capacidade para realização de diversos serviços, como resgate, fiscalização, policiamento etc).
A vinculação da frota ao Comave, com a estratégia de integração, inclusive, terá papel fundamental no aumento da cobertura geográfica, da quantidade de atendimentos e na otimização dos recursos.

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Polícia investiga acidentes com pistolas Taurus na Bahia e no RN

Aliny Gama
Colaboração para o UOL, em Maceió
  • Divulgação
    Pistola Taurus modelo 24/7, usada por policiais da Paraíba
Pistola Taurus modelo 24/7, usada por policiais da Paraíba Dois incidentes ocasionados por disparos de armas de fabricação da Forjas Taurus utilizadas pela PM (Polícia Militar) da Bahia e do Rio Grande do Norte estão sendo investigados pela perícia técnica dos Estados. Uma policial militar da cidade de Macaúbas (BA) foi atingida por um tiro no rosto e está em coma. O outro caso foi de um agricultor que morreu com um tiro na cabeça no município de Pau dos Ferros (RN), no último dia 13. Há suspeita de que as armas tenham entrado em pane e disparado sem acionamento do gatilho.
Relatos de casos de pane em armas da Taurus já foram registrados em quase todos os Estados brasileiros. Um site chamado "vítimas da Taurus" contabiliza que pelo menos 109 pessoas -- dentre policiais, agentes penitenciários e pessoas que têm porte de arma. Procurada pelo UOL, a empresa não se manifestou sobre os casos recentes da Bahia e do RN.
A PM Jaqueline Ribeiro de Oliveira, 32, trabalha na 4ª CIPM (Companhia Independente da Polícia Militar) de Macaúbas. No último dia 11, ela estava de serviço, mas foi à residência ver como as filhas estavam e a arma disparou atingindo-a no rosto. A policial foi socorrida para o hospital municipal e, devido ao estado de saúde grave, foi transferida para UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital de Barreiras, onde permanece em coma.
"Tudo indica que foi um disparo acidental, pois não havia sinais de suicídio. A arma foi encaminhada para perícia técnica no município de Bom Jesus", afirmou o tenente Daniel Bras, da 4ª CIPM. A arma da policial é uma PT-100 da Taurus.
No RN, um tiro deflagrado por uma pistola Taurus 24/7 supostamente com problemas matou o agricultor Ubiratan Alves, 23, no município de Pau dos Ferros. Ele estava observando uma ação da PM quando foi atingido por um tiro na cabeça e morreu no local.
O policial militar que usava a arma se apresentou à delegacia depois do ocorrido e alegou que a pistola disparou sem que ele acionasse o gatilho. Ele não teve a identidade divulgada. A arma do policial foi recolhida pela Polícia Civil e encaminhada para ser periciada no Itep (Instituto Técnico-Científico de Polícia) de Mossoró.
O policial ficará afastado das ruas até que o processo administrativo seja concluído. Ainda não há previsão de quando sairá o laudo da perícia feita na arma.
As polícias Militar da Bahia e do Rio Grande do Norte informaram que aguardam conclusão da perícia nas armas para se pronunciarem sobre o assunto. Não há previsão de quando sairá o resultado.

Falha durante reação a assalto

Em julho de 2015, o policial militar Pablo Nascimento da Cunha estava saindo de um banco na avenida Pedro II, em João Pessoa, quando foi abordado por um ladrão. Ele reagiu ao assalto, mas não esperava que a pistola Taurus que portava travasse no momento do disparo. Com a arma em pane, o policial travou luta corporal com o assaltante e acabou baleado na perna.
"A arma travou três vezes em menos de 20 segundos. A pistola não efetuou disparo quando puxei o gatilho. As munições foram submetidas a perícia e foi constatada que a marcação da espoleta não foi suficiente para disparar", contou o policial, destacando que tem 22 anos de experiência e é instrutor de tiro campeão brasileiro desde 1997. A munição usava pelo policial era original, de fabricação da CBC (Companhia Brasileira de Cartuchos), pertencente à Forjas Taurus.
Cunha ingressou com uma ação civil contra a Forjas Taurus cobrando punição pelos danos morais e materiais. Duas audiências já foram realizadas e ele aguarda julgamento do caso. "Uso prótese na perna e não tenho mais a saúde que tinha. Sinto dores intensas no fêmur e não consigo me locomover como antes", conta.

Falha no teste

Policial mostra falha de pistola Taurus durante treino na Paraíba

Um policial civil da Paraíba, que pediu para não ser identificado, contou ao UOL que a pistola Taurus modelo 24/7 que ele recebeu do governo do Estado quando ingressou na Polícia Civil em 2016, apresentou falhas de disparos ainda no teste. Segundo o policial, dos 20 disparos feitos no teste, nove balas ficaram travadas na arma.
"Tem muitos casos de falha de pistolas Taurus que não disparam ao atirar ou disparam sem acionar o gatilho. Quando recebi a minha arma, de 20 disparos de teste, falhou em nove. As de alguns colegas aqui já falharam em ação. Observei no teste que a minha arma sempre falhava no terceiro ou quarto disparo", contou o policial.
"Acontece de a arma estar funcionando, porém de uma hora para outra quebra uma peça ou um mecanismo para de funcionar. Não dá para prever que ela vai falhar. Eu sempre mantenho a minha arma limpa e devidamente lubrificada, mas não confio de forma alguma. É tenso trabalhar com um equipamento que pode falhar a qualquer momento. Em caso de falha em ação, o policial corre extremo risco de morte", destaca o policial.

Mais falhas

Sete agentes penitenciários do Rio Grande do Norte ingressaram com ação judicial pedindo o ressarcimento dos valores pagos na aquisição de pistolas .380, modelo 638 da Taurus, adquiridas para uso pessoal, e pagamento de danos morais pelo risco de morte que eles correm ao usar as armas que podem falhar a qualquer momento.
Segundo o advogado Jorge Ricardo Jales, o grupo decidiu buscar a Justiça depois que as armas apresentaram falhas em treinos e cursos de tiro. Jales afirma que as armas apresentaram o mesmo defeito: travamento no momento do disparo.
"A bala engancha na câmara de combustão quando o gatilho é acionado. Para efetuar o disparo, precisa-se retirar e recolocar o carregador e a munição. Solicitamos perícia para ser realizada nas armas para comprovar as falhas que estão sendo apresentadas até mesmo com uso de munição original. O pessoal já não confia mais nessas armas", disse o advogado.
Delegado Renato da Silva Oliveira, titular da delegacia da cidade de Apodi, conta que pistolas da Taurus já falharam nas mãos dele durante treinamento de tiros e, atualmente, por precaução, ele adquiriu armas fabricadas na Tchecoslováquia para proteção pessoal.
"Cheguei a pegar uma pistola do governo do Estado modelo 24/7 que quando balançava ela disparava. Durante treinos com uma pistola .380 observei  que a arma efetua o disparo e engancha no terceiro tiro. Quando ela trava, temos de tirar o carregador e a munição da câmera que não foi deflagrada para voltar a usá-la. Porém, a sequência de tiros durante ação de combate é fundamental para a vida do policial. Se sua arma não dispara num momento desses, você está morto", afirma Oliveira.

Outro lado

A Secretaria da Segurança e da Defesa Social da Paraíba informou que tem conhecimento dos acidentes envolvendo a Taurus ocorridos no país, mas afirmou que não existe nenhum registro formal envolvendo a pistola Taurus 24/7 na Gerência Executiva de Armas e Munições.
"Nesse sentido, desde que detectados problemas, com registros formais, pode-se substituir o equipamento. Contudo, o controle sobre a fabricação de armamentos no país é do Exército Brasileiro", disse a secretaria, sem justificar o porquê de pistolas Taurus 24/7 continuarem sendo adquiridas pelo governo da Paraíba para policiais do Estado.
A Taurus informou não ter conhecimento e disse não ter sido notificada sobre casos de disparos acidentais ou travamento de pistolas 24/7 envolvendo policiais da Paraíba. A empresa não se manifestou sobre as denúncias ocorridas no Rio Grande do Norte e na Bahia.
A indústria de armas afirmou ser vítima de "ataques inconsistentes, sem respaldo técnico e que sempre que há alegação de disparo acidental e falha no mecanismo de disparo de uma arma". Para que isso seja detectado, segundo a Taurus, é necessário realizar perícias para verificar a verdadeira causa do incidente.
"Todas as perícias realizadas até hoje dentro das normas aplicáveis comprovam que não há defeito ou falha no projeto ou nos mecanismos de segurança e funcionamento dos produtos Taurus", afirmou a indústria, destacando que desde 2015 iniciou programa gratuito de revisão e manutenção de armas, oferecido a todos os clientes do Brasil.
O Exército Brasileiro informou ao UOL que instaurou procedimento investigativo em 2016 para verificar a qualificação da Forjas Taurus na fabricação de armas de fogo. O processo está em andamento, sem data para conclusão.


Polícia investiga acidentes com pistolas Taurus na Bahia e no RN 2 Aliny Gama Colaboração para o UOL, em Maceió 05/05/201704h00 > Atualizada 05/05/201704h01 Ouvir texto 0:00 Imprimir Comunicar erro Divulgação ... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2017/05/05/policia-investiga-acidentes-com-pistolas-taurus-na-bahia-e-no-rn.htm?cmpid=copiaecola

Câmara Municipal de Bandeira-MG, homenageia Cabo da Polícia Militar

Em data de 04 de Maio de 2017 a Câmara Municipal de Bandeira-MG, através de sua Presidente Maria Isabel Novais Lopes,  homenageou o Cabo PM Vicente César dos Reis pelos excelentes serviços prestados a população Bandeirense durante o tempo que permaneceu lotado no Destacamento da Polícia Militar de Minas Gerais em Bandeira. Recentemente o mesmo foi transferido para sua Cidade Natal Pedra Azul-MG.