quinta-feira, 1 de setembro de 2016

EXTRA: Brasil – EUA

Coluna Esplanada / 01/09/2016 - 06h00 - Hoje em Dia

A primeira missão internacional de Michel Temer não é a viagem à China. Foi mandar um recado velado para a Casa Branca. O novo embaixador do Brasil em Washington, Sérgio Amaral, que viaja esta semana para lá, leva uma mensagem de paz e de boas relações, ao contrário de Dilma Rousseff, que rompeu com Barack Obama após a descoberta da suposta espionagem. O embaixador já teve o agreement do governo americano. A prévia foi na casa de Amaral em Pirenópolis (GO), há um mês, quando ele recebeu a embaixadora americana Liliana Ayalde para uma conversa particular.
Mais do mesmo
Dilma foi craque em incidentes com o Itamaraty. Apesar da bronca dela, o então chanceler Luís Figueiredo revelou a deputados que os EUA não vão parar de espionar.
Oi e tchau
Ano passado, Dilma ‘bateu o telefone na cara’ do então chanceler Mauro Vieira, e disse palavras impublicáveis, quando ele explicou a importância das relações com os EUA.
Rebobinada
A ex-presidente quer concorrer ao Senado ou ao Governo do Rio Grande do Sul em 2018. Mas não mais pelo PT. Ela estuda voltar ao PDT.
Dupla debandada
A executiva do PT e Dilma têm reunião marcada. Deve ser o primeiro passo para a despedida da legenda. E o PT já sabe. A surpresa é que José Eduardo Cardozo também deve deixar a legenda, porque pretende abrir seu escritório de advocacia em São Paulo e em Brasília. Ele não quer o partido como sobrenome – ou encosto.
Vem avalanche
O Inferno de Dilma só começa. Cidadã comum, vira alvo de avalanche de processos e indiciamentos, no âmbito cível (ações populares) e policial (Lava Jato). Só um cargo de secretária em algum governo estadual a blinda, em parte.
Fui 1
O primeiro evento internacional da economista Dilma Rousseff, ex-presidente do Brasil, deve ser na Argentina. Ela estuda convite do grupo Mães da Praça de Maio, suas fãs.
Fui 2
Dilma já avisou a amigos que também pretende estudar um ano fora do Brasil. Em alguma ‘nação amiga’. Estados Unidos, nem pensar. Cuba e Uruguai na lista.
Fui 3
Líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB) deve se licenciar por quatro meses. O motivo é um mistério.
O de sempre
Até pouco antes da votação do impeachment, tinha senador fisiológico ‘indeciso’ mandando recado claro para Michel Temer: ou dá ou desce (a rampa).
Que perigo
O contraditório julgamento do Senado: Dilma Rousseff perdeu o mandato por crime de responsabilidade, mas mantém direito a concorrer a cargos públicos. São um perigo para a sociedade. Ela e este Senado.
Fez história
E o senador Hélio José (PMDB-DF), o que nomeia até melancia, e que estava indeciso.. votou por Temer e agora deve nomear um pomar inteiro. Helinho teve seis votos para deputado distrital e chegou ao Senado como suplente do governador Rollemberg.
Quase vitalício
Incomodou e muito a cúpula do PSDB, em especial o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), a informação de que o presidente Michel Temer pretende mudar a liderança do Governo no Senado.
Sombra do Jucá
Impossibilitado de ocupar a chefia de ministério, após as gravações reveladas pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) está mais que cotado para assumir o posto – já ocupado por ele nos governos Lula e Dilma.
Saiu do vestiário
Algo histórico ocorreu na tribuna do Senado na noite de terça, às 22h40. O senador Zezé Perrella apareceu na tribuna, e discursando. A imagem é digna de moldura.
Ponto Final
Lição do impeachment - como é importante obedecer a Lei de Responsabilidade Fiscal. E como é essencial ter um presidente da Câmara aliado.

Nenhum comentário:

Loading...

Arquivo do blog