quinta-feira, 5 de maio de 2016

Imprensa estrangeira diz que afastamento de Cunha é 'histórico'

Estadão Conteúdo
05/05/2016 - 13h30 - Atualizado 13h40
Reportagem do "The New York Times" sobre o afastamento de Cunha
Reportagem do "The New York Times" sobre o afastamento de Cunha
A decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki de afastar Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi classificada como "histórica" pelo jornal Financial Times. Para a emissora britânica BBC, a medida foi "dramática", mas veio "tarde demais para salvar Dilma Rousseff". O americano The New York Times afirma que o afastamento não vai ajudar a presidente, mas reflete o potencial para mais turbulência política no País. As atenções, diz o NYT, se voltam agora para deputado Waldir Maranhão (PP-MA), que assumiu a presidência da Câmara e também é investigado pela Operação Lava Jato.

Na internet, o britânico FT diz que o político fluminense foi o "arquiteto do movimento de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff". O Financial Times cita ainda que "analistas consideram a decisão importante para o Brasil, representando uma intervenção de um Poder, o Judiciário, em outro, o Legislativo".

A reportagem lembra que a decisão não alterará o andamento do processo de impeachment, mas o texto diz que a decisão de Teori Zavascki pode servir "como argumento contra o processo". "Apoiadores da presidente já alegavam que, ao impedir a presidente, o poder será entregue a um cartel de corruptos em um Congresso liderado por Cunha", cita o texto.

Na BBC, o correspondente do canal no Brasil, Wyre Davies, diz que "a dramática suspensão de Eduardo Cunha pode ter vindo tarde demais para salvar Dilma Rousseff". "Mas, sem dúvida, ele teve um papel crítico no processo que agora pode suspender a primeira presidente mulher do Brasil", cita o jornalista em análise publicada no site da BBC.

Davies afirma que Cunha é um "talentoso e bem conectado operador político", mas é mais impopular que a presidente da República após a divulgação de detalhes das contas bancárias do político na Suíça.

O jornal espanhol El País dá destaque à decisão e ao fato de que o político é "sempre polêmico e extremamente poderoso". A publicação lembra que Cunha é acusado de participar do esquema de corrupção da PetrobrAs e ter recebido milhões de dólares, inclusive em contas na Suíça. O processo de investigação sobre isso, porém, está praticamente parado, nota o El País.

"Cunha, um sobrevivente político nato, conseguiu atrasar ao máximo o processo para seguir à frente do Parlamento e liderar o processo de destituição de Dilma Rousseff, sua inimiga declarada", diz o jornal espanhol.

O afastamento de Cunha também repercute na imprensa dos Estados Unidos, incluindo nas redes de televisão ABC e Fox News e no The Wall Street Journal. Neste a reportagem descreve que o afastamento de Cunha ajuda a aumentar a incerteza no já tumultuado cenário político brasileiro. A decisão de Teori ocorre em meio a uma crise política que se aprofunda no Brasil, destaca o jornal, citando que o Senado vota na semana que vem o processo de impeachment de Dilma.

Além disso, a reportagem ressalta que líderes políticos, acadêmicos e analistas mostraram preocupação nos últimos dias de que na linha sucessória para ocupar a Presidência do País, mesmo que de forma temporária, pudesse ter um deputado envolvido em vários escândalos de corrupção.

Nenhum comentário:

Loading...

Arquivo do blog