terça-feira, 10 de maio de 2016

Renan quer concluir votação do impeachment na noite de quarta

SENADO

Sessão está prevista para começar às 9h, com pausa de uma hora às 12h, outra interrupção às 18h e votação de maneira eletrônica às 19h

RENAN JOINHA
Presidente do Senado decidiu dar prosseguimento no processo

PUBLICADO EM 09/05/16 - 22h05
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), anunciou que pretende concluir na noite de quarta (11) a votação sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Segundo Renan, seu plano é começar a sessão às 9h de quarta e seguir o seguinte cronograma: suspensão às 12h, retorno às 13h, interrupção novamente, desta vez às 18h, e então a votação às 19h, de maneira eletrônica.
"O objetivo é concluir a sessão ainda na quarta-feira", disse o presidente do Senado. De acordo com o senador, a expectativa é que 60 senadores se inscrevam para se pronunciar na sessão. Cada um terá de dez a 15 minutos -tempo exato será definido em reunião com os líderes dos partidos na tarde desta terça.
Se depender do Renan, os líderes não vão orientar suas bancadas. "Não vai haver encaminhamento de líderes, porque durante esse processo eu achei que não era pertinente o líder orientar a bancada", disse.
Líderes partidários, porém, acham provável que a sessão dure mais de dez horas, por causa da possível manifestação da defesa de Dilma, do relator e das chamadas questões de ordens, que são questionamentos regimentais feitos pelos senadores.
Exige-se os votos da maioria simples dos presentes para que Dilma seja afastada por até 180 dias e julgada por crime de responsabilidade. Até agora, 51 senadores já se manifestaram neste sentido, segundo levantamento da Folha de S.Paulo. Confirmado o resultado, o vice Michel Temer assume a presidência temporariamente.
A presidente Dilma é acusada de editar, em 2015, decretos de créditos suplementares sem aval do Congresso e de usar dinheiro de bancos federais em programas do Tesouro, as chamadas "pedaladas fiscais". Sua defesa considera que não há elementos para o afastamento do cargo.

Nenhum comentário:

Loading...

Arquivo do blog